0

Como fazer o assinante do rosal

As rosas são plantas com exigências importantes de assinante. Para crescer e se desenvolver de forma otimizada, as rosas precisam de todos os nutrientes. Para o assinante do rosal, os fertilizantes complexos , 10-10-10 (N-P-K), deve-se aplicar na época de crescimento, a cada 4 semanas, em forma de granulado. Durante a época de calor, no verão, convém usar adubos com menor concentração de azoto 6-12-6 (N-P-K). Outra fórmula recomendada é 12-12-17-2 (N-P-K-Mg).

Antes de definir o assinante do rosal, em primeiro lugar vamos conhecer as carências de minerais que podem aparecer.
Macronutrientes básicos ou essenciais:
Nitrogênio (N): A folhagem se torna amarelado, as folhas permanecem pequenas e não observam-se crescimentos novos. Em geral, a planta carece de vigor, brilho e a floração é pobre. Em carências prolongadas as folhas caem, os galhos atingem pouca altura e a planta se enfraquece.
Fósforo (P): As folhas novas tornam-se escuras e a face inferior com tonalidades violáceas. As folhas do rosal caem e os galhos atingem pouca altura e enfraquecem.
Potássio (K): A margem das folhas torna-se amarelado, e com o tempo se necrosa e adquire tonalidades negruzcas. Os botões florais aparecem pouco desenvolvidos e as flores não adquirem crescimento. O potássio, juntamente com o nitrogênio e o fósforo formam um dos componentes essenciais o assinante do rosal.
O potássio é geralmente aplicado depois da primavera, deve-se aplicar um assinante à base de potássio, aplicando de novo no final de verão, início de outono.
Secundários:
Cálcio (Ca): a carência de cálcio provoca um crescimento desigual da planta, bem como um desenvolvimento anormal das raízes.
Magnésio (Mg): As folhas do rosal se tornam pálidas no centro, apareceu sobre eles manchas necróticas. Se a falta se prolonga ao longo do tempo, as folhas acabam caindo.
Micronutrientes ou oligoelementos:
Ferro (Fe): aparece uma clorosis férrica destacada por folhas amarelas com nervos sem clorosis. Comum em solos alcalinos.
Manganês (Mn): as folhas tornam-se pálidas, moteadas, sobretudo nas folhas mais velhas ou inferiores. Esta carência se costuma apresentar em solos alcalinos.

Quando se observa uma rosa com manchas amarelas de forma generalizada e um aspecto de pouca vitalidade, poucas flores e folhas pequenas, trata-se de um rosal com deficiência em nitrogênio.
Alterações orgânicas, como o composto, reduz ou inibe esta deficiência. A correção para deficiências de nitrogênio baseia-se na aplicação de fertilizantes nitrogenados de ação rápida, como o nitrato de potássio.

Um programa básico de fertilização para rosales consiste na aplicação, 1 (uma) vez por mês, de um fertilizante completo.
A incorporação de nutrientes em o rosal será abundante quanto a de nitrogênio e potássio, e menor volume em fósforo. Depende da extração de nutrientes do rosal, para definir o assinante de cobertera. Ferrer e Salvador aconselham os seguintes níveis de aplicação:
O assinante orgânico é muito importante em o rosal. No outono, proceder-se-á ao assinante com matéria orgânica em uma relação de 1 kg por metro quadrado, reforçando o assinante após a poda para promover o crescimento de ramos novos.
Se o seu terreno é pobre e mal drenado você tem que acolcharlo. Isso é feito incorporando ao terreno compostagem, folhas secas, grama, palha, etc., Adiciona uma grande capacidade de retenção para a terra e, por sua vez, incorpora nutrientes orgânicos, como assinante do rosal. Não constrói mais de 3 cm de estofamento. Com o tempo o processo de compostagem reduz está altura e deverá proceder a mistura equilibrada com a terra que circunda o rosal. Quando o estofamento se apagar, repita o processo.
Momento do ano para aplicarEnmiendasFertilizantes

Na preparação do solo antes do plantio (final do outono)Orgânicas: Estíercol de animal ou compostOrgánicos: Farinha de ossos
Químicos: Superfosfatos de cálcio

Às 3 semanas de podaOrgánicas: Farinha de ossos
Químicas: Superfosfatos de cálcio
De tipo químico: 6-12-6 (N-P-K) 1 vez por mês

Na primavera/verão e rosales já implantadosOrgánicas: Restolhos ou cortes de pastoEn tempo quente, a metade da dose
Fonte: Martha Álvarez

Elaine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *